sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

domingo, 4 de dezembro de 2011

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

terça-feira, 29 de novembro de 2011

PARADOXO

BPM, workflow, hadouken... 
e o sistema de qualquer empresa 
está sempre fora do ar no momento 

( Fabio Rocha  - A Magia da Poesia )

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

RESUMO

você imagina como é bom dormir em conchinha.
você tenta dormir em conchinha.
dormir em conchinha é uma merda.

(Fabio Rocha)

terça-feira, 4 de outubro de 2011

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

SIMPLES 54

teu olhar 
é onde os mistérios se encantam 
no escuro 

FÓRMULA 1

passo os dias 
dançando 
com o que não posso 

AMPULHETA

"De me contradizer, de não ter meta / Me reinventar, ser meu próprio Deus / Viver menino, morrer poeta" (Vander Lee)

quero é dançar no mar 
que a essência da pedra 
é areia 

REAL

pegar sol
nas madrugadas
das primaveras geladas

(Fabio Rocha)

NA MADRUGADA

fogos do Rock in Rio
uma foto num sonho
fomos

(Fabio Rocha)

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

OSHÃO

"O amor é uma forma natural de meditação." - OSHO

o ar 
só é ar 
se há chão 

OBS: Foto minha, esperando o ônibus e o dia, em algum lugar do passado. :)

terça-feira, 20 de setembro de 2011

sábado, 17 de setembro de 2011

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

quero as cores
das casas mais frias
vermelho fogo

(Fabio Rocha)

SEM EXCEÇÃO

entre o santo 
e o demônio 
cabe toda a humanidade 

TUDO

o dia renova o sol 
ovo sem clara 
clareando o dia 

"No clima do silêncio, da não-mente, de nenhuma perturbação interior, de absoluta clareza, paz e silêncio, de repente você verá que milhares de flores se abriram dentro de você. E a fragrância delas é amor.

Naturalmente, primeiro você amará a si mesmo, porque esse será o seu primeiro encontro. Primeiro você ficará consciente da fragrância que está surgindo em você e da luz que nasceu em você e da bênção que está banhando você. Então amar se tornará a sua natureza. Você amará muitos, você amará todos." (OSHO)

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

LAR

Para Rebeca

a casa se aquece pela cozinha
plexo sem muitas complexidades
se esquece de tudo e ri de novo

(Fabio Rocha)

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

DA ESPERA

as palmeiras 
no mesmo lugar 
contemplando o silêncio do céu 

É UMA DANÇA, ROCHA

e só tem 
graça 
se não cansa 

:) NÚMERO 10

levante-se: 
é hora de tentar 
o impossível 

O COSMO MÁXIMO

plexo escancarado 
nada é complexo 
todo passo é busca 

A_PONTA

sexta-feira santa 
canto profano 
um leque de setas 

DO NÃO QUERER ESTAR EM NENHUM OUTRO LUGAR

paixão é a janela
para fora
de minha espera

(Fabio Rocha)

domingo, 31 de julho de 2011

sábado, 23 de julho de 2011

PAUSA

"A mesma rocha que bloqueia o caminho poderá funcionar como um degrau." (OSHO)

paro sobre o silêncio
o tempo que for preciso
para descobrir o que sou

(Fabio Rocha)

sábado, 9 de julho de 2011

segunda-feira, 20 de junho de 2011

quarta-feira, 15 de junho de 2011

segunda-feira, 13 de junho de 2011

BEBIDA

trago 
a boca seca 
o tórax deserto 

HIATO

"De início as lavas do desejo, e rouxinóis no peito. / E aos poucos lassidão, um desgosto de beijos, um esfriar-se" (Hilda Hilst)

acelerados demais 
perdemos 
tempo 

SE FOR DE

sinto falta 
já não sei nem mais de quem 
(isso se for de alguém) 

SOTURNO NÚMERO 5

"Eu preferia / A grande noite negra / A esta luz irracional da Vida." (Hilda Hilst)

de volta à questão primeira 
seu olhar com gosto de jamais 
nem me desgosta mais 

CHEGADA NÚMERO 8

meu já ser 
tem ânsia 
e vomito versos 

ADORO AS SEGUNDAS-FEIRAS

procuramos amarras 
em vez de procurar 

BREVE POEMA LOUCO

é preciso doar muito 
tendo recebido pouco 
no intuito de parar de medir 

segunda-feira, 6 de junho de 2011

A DÚVIDA

pela consciência
da finitude
apresso fins?

(Fabio Rocha)

PARA CARLA E DANIELLE

sou poeta 
pela falta de coragem 
pra ser palhaço 

DA INTERRUPÇÃO

perdi um poema 
na voz 

POEMA RECORRENTE NÚMERO 100

novas dimensões de frio: 
lobos em estepes com uivos tímidos 
me fazem rir 

PRO FUTURO

volto a vontade que queima 
com luz invisível 
plexos solares 

LER POESIA

é como se lesse 
o mistério maior 
nunca decifrado 

CANTO BICADAS

para fazer um poema triste, bem  
olhe os olhos de um pássaro lindo e forte 
que te fere o peito, porém 

quarta-feira, 1 de junho de 2011

DESFUTUROS (FRUTOS E FUROS)

a ponta do mundo 
aponta a direção 
para onde não vou 

DA PATA ENCARNADA

debaixo do desejo 
não há corpo 
não há nada 

COM_TATO

o fogo da tua boca 
se não é palavra 
é desejo 

MEMÓRIA OLFATIVA NÚMERO 5

o cheiro do fliperama 
no corredor ambíguo: 
prazer antigo 

RELIGAÇÃO

sem motivo ou meta 
ou meio separado do fim 
escrevo e leio e sorrio 

SE FOR AMOR, QUE SEJA MEIO

olho a estrela primeira 
meu último desejo: 
iluminação